terça-feira, 22 de novembro de 2016

Cedae paralisa sistema Guandu a partir de quinta-feira (24/11) para manutenção

A partir de quinta-feira (24/11), a Cedae realizará manutenção preventiva na Estação de Tratamento de Águas (ETA) Guandu, na Baixada Fluminense, com parada do sistema por um período de 24h, iniciando às 8 horas de quinta e finalizando às 8 horas desta sexta-feira (25/11). De acordo com a Cedae, o trabalho faz parte do planejamento operacional, com objetivo de preparar as principais estações para o período de maior consumo que se aproxima, o verão.

Os municípios atendidos pela sistema Guandu são Belford Roxo, Rio de Janeiro, Duque de Caxias, São João de Meriti, Nova Iguaçu, Queimados, Mesquita, Nilópolis, totalizando uma população de 9 milhões de pessoas. Segundo a Cedae, técnicos da companhia farão uma vistoria nos reservatórios e canais de água filtrada da estação de tratamento. Também serão fiscalizadas as adutoras e elevatórias que compõem o sistema do Guandu. Seiscentos funcionários vão trabalhar em vários pontos do Grande Rio.

Segundo a Cedae, o abastecimento de água começa a ser normalizado logo após o religamento do sistema, mas em algumas áreas (as chamadas pontas de sistema) e regiões mais altas, o fornecimento de água poderá demorar até 72 horas após a conclusão dos trabalhos para ser totalmente restabelecido. A Cedae informou que foi montado um esquema especial para atender hospitais e outros órgãos de atendimento essencial, com carros-pipa.

De acordo com o presidente da Cedae, Jorge Briadr, a parada do sistema Guandu para manutenção preventiva é “uma ação de engenharia voltada à realização de serviços que permitem a Estação trabalhar com melhor desempenho e confiabilidade no período do verão e executar simultaneamente centenas de serviços de manutenção preventiva, corretiva e melhorias em sistemas de distribuição e adução em toda região do Grande Rio, além de ser uma operação planejada há meses.”

Imóveis que tenham cisterna e/ou caixa d`água não deverão enfrentar maiores problemas de abastecimento. A Cedae pede que que a população procure o desperdício e use a água de forma racional, evitando lavar carros e encher piscinas, por exemplo.
Fonte: Divulgação Cedae/Notícias de Belford Roxo

Organizador do MEGA GEEK mostra espaço do UNIABEU onde será realizado o evento ANIME & COSPLAY no dia 27/11 em Belford Roxo.

Mayck Ramilgton organizador do Mega Geek visita espaço do UNIABEL em Belford Roxo e mostra local onde acontecerá o evento mais esperado do ano na cidade que acontece no dia 27 de Novembro das 10h às 18h.
Vendas ONLINE
Pontos de Vendas
- Belford Roxo - Centro -
Uniabeu Belford Roxo - Xerox
R. Itaiara, 301
Tel: 9-9408-8326 (Xerox)
2104-0466
China Copiadora e Bordados
R. Itaiara, 211
Tel: 3939-6061
3939-6062
- Duque de Caxias -
Planeta Anime
Mercado Municipal - Loja 03
Tel: 3673-7500
Rock for You
AV. Presidente Kennedy, 1910
Próx. a Churrascaria Grill, Kilo Mix
Tel: 9420-8796
Skate&Rock - Galeria Caracol
Calçadão José de Alvarenga, 265 - Centro
Tel: 2671-7838
- Nova Iguaçu -
Brian Rock
Av. Doutor Luis Guimarães, 269 - Loja 05
Galeria Multi Shopping (Antiga 13 de Maio)
Tel: 2667-3270 9652-4099 7824-1911
7779-3791
9564-2196
Fonte: Facebook

Heróis e Vilões invadem Belford Roxo. Evento de Anime e Cosplay acontece no próximo dia 27 no INIABEU.

Mega Geek vai mexer com Belford Roxo
BELFORD ROXO - Para comemorar dez anos de eventos de muita ação na Baixada Fluminense, a Uniabeu e a Damatrix Digital promovem o Mega Geek, no dia 27 de novembro, no campus Belford Roxo, das 10h às 18h. Com um universo variado de atrações, o público vai curtir o domingo com Gleen McMillan, O Dustin Brooks; Yellow Ranger, da temporada Power Ranger; Tempestade Ninja, Raony Phillips, da RAOTV, o criador da Web-Série Girls in the House; Bruno Platina, o youtubber que adora Pokémon e chegou no Lv 20 de Pokémon Go em apenas um dia. Tudo que o público nerd curte.
O diretor da Damatrix Digital, Myck Ramilgton, explica que o Mega Geek é um evento multitemático com inúmeras atividades.

“Vamos oferecer Museu do Game, Nintendo Shop, Emt Pokémon, Evento Pokémon GO, Torneio de Games, Just Dance 2017, concurso de desenho, apresentação kendo”, enumera. Mas isso não é tudo. Segundo Ramilgton, os nerds vão ter à disposição ainda Espaço Arena Medieval, apresentação K-Pop, Bingo, Fã-clube Star Wars, Workshop Japonês.
O gestor de eventos da Uniabeu, Ricardo Machado, destaca a importância do apoio ao Mega Geek. "Somos uma instituição que valoriza a cultura de uma forma ampla. Observamos e valorizamos a representatividade nerd e geek. Abrir o campus é incentivar a participação do público em geral e aumentar a sensação de integração", considera Machado. 

Considerado o destaque do evento, Gleen MacMillan vai estar no Rio de Janeiro pela primeira vez. Ramilgton conta que McMillan é mais conhecido como Dustin, o Ranger Amarelo de “Power Rangers Tempestade Ninja. “Ele nasceu em São João da Boa Vista, cidade no interior de São Paulo, e mudou-se para a Austrália com a sua família, assumindo o papel de super-herói com apenas 17 anos de idade”, conta. O sucesso chegou cedo para ele. 
“Já no primeiro episódio, o personagem de Glenn mostrou o seu potencial quando ensina aos companheiros a pose clássica de transformação. O Power Ranger Brasileiro segue marcando presença na série com o seu carisma, espírito aventureiro e também por sua beleza, tornando-se o primeiro amor de uma geração de adolescentes”, destaca Ramilgton.
O diretor garante que será um dia inteiro de muita diversão com o que existe de mais atual no mundo do entretenimento nerd. A previsão é que cerca de três mil pessoas participem do Mega Geek. Em novembro de 2015, na edição Geeky Kon, o público presente foi de aproximadamente dois mil participantes.
Serviço:
Evento: Mega Geek 
Data: 27/11
Horário: Das 10h às 18h
Local: Campus Belford Roxo
Endereço: Itaiara, 301, Centro de Belford Roxo
Ingresso: R$ 30,00 + 1 KG de alimento não perecível
Local de venda de ingresso: https://www.facebook.com/geekykon/
Fonte: Notícias de Belford Roxo
Editado: Rogerio Gomes/Blog do Lote XV

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Perícia indica que NÃO há perfurações de balas na fuselagem do helicóptero que caiu nem nos militares mortos.

Amigos e parentes se depediram do Major Rogerio Melo, piloto do helicóptero da PM que caiu em operação na Cidade de Deus matando quatro policiaisMárcio Mercante / Agência O Dia
'Vivemos uma crise na segurança. A polícia sangra', diz Roberto Sá
Em 2016, 124 PMs foram mortos no Estado do Rio, dos quais 33 estavam em serviço. 'Nós temos verdadeiros heróis morrendo de forma anônima todos os dias', ressalta secretário
Rio - O secretário de Estado de Segurança do Rio, Roberto Sá, defendeu neste domingo, um "novo pacto" para enfrentar a crise de segurança pública que afeta o país. Ele criticou as progressões de regime para presos que cometeram assassinatos. Na tarde de domingo, Sá participou do velório coletivo de três dos quatro policiais militares mortos na queda do helicóptero, no sábado, na Cidade de Deus.

Em 2016, 124 PMs foram mortos no Estado do Rio, dos quais 33 estavam em serviço. De acordo com o Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança, em 2015 foram 87. Desses, 23 estavam trabalhando. "A polícia sangra", disse Sá.

O que o senhor tem a dizer sobre as mortes desses policiais?
Ontem eu começava lamentando as mortes de cinco policiais militares (quatro morreram na queda do helicóptero na Cidade de Deus e outro em um ataque no Méier, zona norte), e hoje eu começo lamentando as mortes dos nossos 124 policiais militares neste ano. São 33 em serviço. É inaceitável o tanto de policiais que morrem no Brasil. Mas também é inaceitável o número de mortes violentas por causas externas de todas as pessoas.

Qual a análise que o senhor faz desse momento?
Imagens de câmera da Cet-Rio mostra o helicóptero caído perto
da Cidade de Deus Reprodução
Eu sempre falei, mas infelizmente essa fala não encontra eco: a gente vive no Brasil uma crise de segurança pública. E a gente tem de rever, tem de ter um novo pacto. A polícia sangra. Nós temos verdadeiros heróis morrendo de forma anônima todos os dias Ontem tivemos mais cinco. Eu já perdi a conta de policiais que eu já enterrei na minha vida profissional. O que eu digo para uma família de um policial que se foi? Não aguento mais entregar quepe e bandeira para mãe, mulher e filho de policial.

Qual é a sua proposta?
Nós temos de decidir no Brasil o que nós queremos para o criminoso violento, aquele que tira a vida de alguém. Quanto tempo vocês acham que essa pessoa tem de ficar presa? Temos de rever tudo. Presos que cometem pequenos furtos têm de ter medidas alternativas. Pessoas que tiram a vida de alguém têm de ficar presas muito tempo, sim. O (traficante) Fu da Mineira (Ricardo Chaves de Castro Lima) e o (também traficante) Claudinho (Cláudio José de Souza Fontarigo), somando a pena dos dois, foram condenados a 160 anos, mas saíram (do Presídio Federal de Porto Velho) para visitar a mãe e tocaram o terror. Até quando vamos enterrar inocentes por esse quadro no Brasil? Eu peço à sociedade para exigir discussão nacional sobre o que fazer com quem tira a vida dos outros.

Os policiais no helicóptero foram mortos a tiros?
Major Rogerio Melo Costa foi um dos quatro PMs mortos na queda de helicóptero; Ele deixa dois filhos. Reprodução Internet
O laudo de autópsia da perícia já saiu. Não há perfuração por arma de fogo nos corpos. A perícia na aeronave está sendo feita pela Aeronáutica. Até o momento (ontem), não se encontrou nenhum tipo de perfuração, mas é muito cedo ainda para qualquer conclusão. A perícia vai levar mais tempo. Não se descarta nada.

Pode ter havido falta de manutenção ou problema na condução da aeronave?
Tudo é possível. A curiosidade de vocês também é a minha. Estamos ansiosos pela conclusão desse laudo. A Polícia Militar me garantiu: a aeronave não levanta voo se tudo não estiver em dia. Ou seja, em tese as manutenções estão todas em dia. A gente precisa aguardar o laudo da perícia.
Corpos foram encontrados na ruas da Cidade de Deus durante a madrugada em que houve operação da PM após queda de helicópteroWhatsApp O DIA
Em relação às mortes na Cidade de Deus, as famílias dizem que alguns sofreram facadas, outros estão sem roupas. O senhor tem informações sobre as circunstâncias das mortes?
 
Ainda não. Já falei com o delegado Rivaldo Barbosa, titular da Divisão de Homicídios, e tenho certeza de que eles não vão deixar sem respostas essas mortes dessas pessoas que foram encontradas na Cidade de Deus. Podem ter certeza, estamos aqui para preservar vidas. Nenhum excesso será tolerado, nenhum excesso vai ficar impune. Eu confio muito no trabalho da Divisão de Homicídios.
Fonte: Estadão/O Dia

Efeito Cabral no pacote Pezão Prisão de Sérgio Cabral prejudica, e muito, a aprovação do pacote de austeridade enviado por Pezão à Assembleia Legislativa.

Imagem: BlogdoGarotinho
Rio - A prisão de Sérgio Cabral prejudica, e muito, a aprovação do pacote de austeridade enviado por Pezão à Assembleia Legislativa. 

Deputados do mesmo PMDB do governador dizem que, se o Palácio Guanabara esticar a corda, podem até abandonar o partido. E fazer o mesmo que deputados do PDT, que decidiram radicalizar contra algumas das impopulares medidas.

“O clima já era péssimo. Agora, então, a pressão das ruas vai ser maior ainda. E nós não vamos cometer suicídio político”, avisa um peemedebista. 

A expectativa é que, com a prisão, os protestos na porta da Alerj aumentem esta semana.

Renúncia
Ao criticar o pacote de Pezão, a deputada estadual Cidinha Campos (PDT) cobra a renúncia do governador: “Nada contra o Pezão pessoa física, de quem eu gosto, mas o Pezão governador não tem mais condições políticas para comandar o estado.”

Um experiente político diz que uma alternativa seria Pezão retomar a licença-médica.

Vídeo da ambulância 
Mais que adversárias, inimigas políticas, Cidinha se solidariza com a deputada federal Clarissa Garotinho (PR): “Todos sabemos o quanto ela é apegada ao pai. Não merecia passar por aquilo”, diz, referindo-se ao vídeo em que ela chora ao ver o pai, Anthony, se debatendo em meio a enfermeiros e policiais.

Visão de futuro 
A legalização dos jogos de azar ainda é analisada pelo Congresso, mas bicheiros já compraram imóveis em que funcionavam casas de show, na Barra, para transformá-los em cassinos.

Caso Falcon
A polícia trabalha com uma nova versão para o assassinato de Marcos Falcon. O homicídio teria ocorrido por conta da forma como o então presidente da Portela organizava os desfiles dos grupos B, C, D e E, na Intendente Magalhães. Exigências de Falcon teriam irritado comerciantes e traficantes.

Só pra descontrair... rsrsr
Só no Rio...
De Bíblia na mão, blusa e calça sociais, um homem escutava música gospel em alto volume no metrô, quarta. Após reclamação de passageiros, ele disse que não gostava de usar fones de ouvido. A chiadeira foi geral. O rapaz, então, desligou o celular. Mas o silêncio durou segundos...

Sermão no metrô
"Jesus me trouxe aqui!”, gritou o passageiro-pastor, assustando quem estava perto. No meio da pregação, emendou: “Quando eu traficava e andava de (fuzil) 762, ninguém reclamava que o som do meu celular estava alto.”
Fonte: O Dia

Denúncias chegam a filho de Cabral.

João Pedro Cabral – mais conhecido como Cabralzinho. Imagem fonte Glamurama.
João Pedro teria reclamado de aplicações de R$ 675 mil. ‘Mas é só isso?’, questionou em e-mail
Rio- Documentos eletrônicos arrecadados com Carlos Miranda, amigo e ex-sócio do ex-governador Sérgio Cabral, revelam o quanto o político preso era generoso com sua prole.

E-mail trocado entre Carlos Miranda e João Pedro Neves Cabral sugere que o filho do ex-governador “tem acesso a recursos financeiros aplicados em instituição bancária os quais não estariam em seu nome, mas sob a administração de Carlos Miranda”, segundo a denúncia das autoridades federais que atuaram na Operação Calicute. Anexo ao e-mail, um documento detalhava aplicações no valor de R$ 675 mil.

Na mensagem eletrônica, trocada em 19 de fevereiro de 2015, o filho de Cabral ainda reclama do valor: “mas, só tem isso!?”, no que Miranda responde: “é o que está aplicado com você”. A denúncia destaca que na planilha de investimentos realizados no Banco Citibank “não há demonstração de número de conta ou de quem seria o investidor”. 

Miranda, amigo de infância de Sérgio Cabral e preso como operador financeiro da organização criminosa desbaratada, é apontado como responsável pelo recolhimento e distribuição das propinas recebidas pelo bando.

Reportagem do O DIA revelou que, em dinheiro vivo, a quadrilha recebeu R$176 milhões somente da construtora Andrade Gutierrez. Miranda, que mora em apartamento de luxo de frente para a Lagoa Rodrigo de Freitas, era quem fazia as declarações de Imposto de Renda da família de Cabral, “da sua ex-esposa, Suzana Neves Cabral, de sua mãe, Magali Cabral, do seu irmão Maurício Cabral, do seu assessor pessoal Pedro Ramos de Miranda, da sua respectiva companheira Aline Jeucken da Silva, assim como da sua secretária pessoal Luciana Rodrigues da Silva”.

A Operação Calicute foi deflagrada pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal, na quinta-feira. Segundo a denúncia, o Cabral era o líder de uma quadrilha que recebeu, entre 2007 e 2014, pelo menos R$224 milhões em propinas.

Executivos de duas empreiteiras confirmaram em delação premiada que Cabral recebia mesada de R$ 800 mil. Preso em Bangu 8, não recebeu visitas no fim de semana, segundo a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). Mas tem se alimentado bem.
Fonte: O DIA/WILSON AQUINO

Entenda suspeitas contra Adriana Ancelmo, mulher de Sergio Cabral.

A mulher do ex-governador Sérgio Cabral, Adriana Ancelmo, chega à PF para prestar depoimento (Foto: Ricardo Moraes/Reuters)
Ex-governador foi preso em investigações da Operação Lava Jato.
Adriana Ancelmo foi alvo de condução coercitiva.
A mulher do ex-governador Sergio Cabral (PMDB), Adriana Alcelmo, foi alvo de condução coercitiva nesta quinta-feira (17), ou seja, conduzida pela Polícia Federal para depor sobre as investigações que culminaram na prisão do marido pela Operação Lava Jato. Ela é citada nos dois despachos que decretaram a prisão preventiva de Sergio Cabral: um do juiz Sergio Moro, de Curitiba, e outro do juiz Marcelo da Costa Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio.

Cabral e mais oito foram presos na Operação Calicute, por suspeita de desvios em obras do governo estadual feitas com recursos federais. O prejuízo é estimado em mais de R$ 220 milhões.

Suspeitas
Adriana é suspeita de lavagem de dinheiro e de ser beneficiária do esquema criminoso. A ex-primeira dama é advogada e sócia-proprietária de um escritório de advocacia no Rio. No âmbito da Operação Lava Jato, os investigadores identificaram pagamentos feitos por Adriana em dinheiro vivo e afirmam que a lavagem se daria pela aquisição de bens, também com pagamentos ou depósitos em espécie.

Segundo o MPF, onze pagamentos feitos por Adriana a fornecedores ocorreram entre dezembro de 2009 e agosto de 20015, totalizando R$ 949.985,01. Entre os objetos comprados estão móveis, dois mini bugs e equipamentos gastronômicos.

“Pagamentos vultosos em espécie, embora não sejam ilícitos, constituem expediente comumente utilizado para prevenir rastreamento e ocultar transações financeiras”, escreveu o juiz Sergio Moro.

Para Moro, as transações parecem ter sido feitas de forma a evitar uma possível fiscalização do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), que recebe informações relativas a movimentações superiores a R$ 10 mil.

No caso de Adriana, depósitos para o pagamento de móveis em uma empresa de marcenaria foram feitos em parcelas de aproximadamente R$ 9 mil, em diversas parcelas e mais de uma parcela no mesmo mês.

Segundo Moro, a “explicação provável” para as operações seria “a intenção de ocultação e dissimulação, indicativo da origem e natureza criminosa dos valores envolvidos”.

Sérgio Cabral (Foto: G1)Já no despacho de Marcelo Bretas, Adriana é citada como “Dri” ou “Adri”, como ela estaria identificada em e-mails e documentos contendo os beneficiários dos repasses de valores por Carlos Bezerra, apontado como um dos operadores financeiros do esquema.

Segundo os investigadores, ela não foi apontada por delatores como participante dos acordos de propina, porém, seu nome foi relacionado a “episódios de repasse de dinheiro”.

Os investigadores citam um pagamento de R$ 30 mil que teria sido feito a “Dri” pelo investigado Carlos Bezerra e dizem que a fatura de seu cartão de crédito foi paga por Sonia Baptista, que foi assessora parlamentar de Sérgio Cabral quando ele era senador. Eles também investigam se depósitos em espécie de R$ 25 milhões, ainda sendo analisados, da empresa Trans-Expert. Uma cópia da declaração de imposto de renda de Adriana foi apreendida na sede dessa empresa.

Ainda conforme os investigadores, a mulher de Cabral tinha como clientes de seu escritório de advocacia empresas envolvidas nos repasses suspeitos, como o Banco Schain.

Pedido de prisão e condução coercitiva
Moro não decretou a prisão de Adriana, pois não houve pedido, mas mandou bloquear suas contas até o montante de R$ 10 milhões.

No Rio, houve o pedido de prisão, que foi negado pelo juiz Marcelo da Costa Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, entendeu que Adriana “aparentemente foi diretamente beneficiada por ditos ilícitos”, porém, sua “eventual participação no esquema delituoso não justificaria a decretação de sua prisão temporária, sendo suficiente, por ora, a determinação de sua condução coercitiva para que preste imediatamente os devidos esclarecimentos aos órgãos de investigação”.

“Trata-se de medida menos drástica e que poderia, dependendo da colaboração da investigada, substituir eficazmente a prisão temporária requerida”, decidiu o juiz.

Defesa
A defesa de Adriana Anselmo informou que só vai se pronunciar na sexta-feira (18).

Banco Central bloqueia R$ 10 milhões em conta da mulher de Sérgio Cabral.

Banco Central bloqueou mais de R$ 10 milhões de Adriana Ancelmo,
mulher do ex-governador Sérgio CabralDivulgação
Outras duas contas de Adriana Ancelmo estavam com saldo zero. Já nas do escritório, Ancelmo Advogados, foi encontrado R$ 1 milhão. 
Rio - O Banco Central encontrou R$ 10 milhões em apenas uma das contas bancárias pessoais da advogada e mulher do ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB), Adriana de Lourdes Ancelmo. Nas contas pessoais de seu marido - preso preventivamente desde a última quinta-feira por ordem das justiças federal no Paraná e no Rio - por sua vez, foram encontrados apenas R$ 454,26.

Os dados são do bloqueio do Bacenjud, sistema informatizado do Banco Central que atende ao Judiciário, em resposta à determinação do juiz Sérgio Moro que decretou o bloqueio de R$ 10 milhões de Cabral, sua mulher e mais 10 investigados na mesma decisão que determinou a prisão do ex-governador.

É a primeira vez, desde o começo da Lava Jato, que o valor encontrado em apenas uma das contas bancárias de um investigado atinge o valor integral do bloqueio determinado por Moro.

O valor foi encontrado em uma conta de Adriana no Itaú Unibanco. Além desta, ela possui ainda uma conta no Santander e uma no Bradesco, ambas com saldo zero. Já nas contas de seu escritório de advocacia, Ancelmo Advogados, foi encontrado pelo Banco Central R$ 1 milhão. Levantamento da Receita Federal na Operação Catilinária aponta que a receita do escritório de Adriana teve um salto de 457% entre o início e o fim dos dois mandatos de Cabral à frente do governo do Rio, entre 2007 e 2014.

Neste período, o lucro declarado do escritório, segundo apontou a Receita Federal, foi de R$ 23,2 milhões. O ex-governador, por sua vez, tinha apenas R$ 428,82 em uma conta no Bradesco e R$ 25,44 em uma conta no Citibank. Já na conta de sua empresa Objetiva Gestão e Comunicação Estratégica Eireli, criada pelo peemedebista após ele deixar o governo do Rio, o Banco Central não encontrou nenhum centavo.

A mulher do ex-governador Sérgio Cabral, Adriana Ancelmo, chega à
PF para prestar depoimento (Foto: Ricardo Moraes/Reuters)
Em relação à SCF Comunicação, que também possui Cabral como sócio, o CNPJ não constava no sistema de informações financeiras. A força-tarefa da Lava Jato no Paraná aponta que o ex-governador teria recebido entre 2007 e 2011 R$ 2,7 milhões de propina da obra do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), da Petrobras. Já as investigações da Procuradoria da República no Rio de Janeiro apontam que Cabral seria o líder de uma organização criminosa que teria cobrado 5% de propinas de grandes empreiteiras nas obras do governo estadual durante sua gestão.

Somente a Andrade Gutierrez e a Carioca Engenharia, empresas que colaboraram com as investigações, teriam pago o equivalente a R$ 40,2 milhões em propinas para Cabral entre 2007 e 2014. A reportagem entrou em contato com o escritório de Adriana Ancelmo, mas ela não foi localizada para comentar o caso.

Em depoimento, Cabral relata 'indignação' e diz ter 'consciência tranquila'
Cabral relatou em depoimento à Operação Lava Jato, após ser preso, "indignação" e declarou ter a "consciência tranquila". O peemedebista é suspeito de ter recebido propinas milionárias sobre obras de empreiteiras no Estado durante seus dois mandatos (2007-2014). O esquema teria girado R$ 224 milhões em corrupção
Sérgio Cabral foi delatado por executivos da Andrade Gutierrez e da Carioca Engenharia. Para o Ministério Público Federal, o ex-governador era o chefe do esquema de corrupção.

Durante o depoimento, foi dada a palavra a Sérgio Cabral. "O mesmo externou sua indignação com a situação e a afirmação dos delatores e que tem a consciência tranquila quanto as mentiras absurdas que lhe foram imputadas e que acredita na Justiça."

O peemedebista foi questionado, durante o depoimento, "se alguma vez foi beneficiado com contratos, pagamentos de propina e realização de contratos de auditorias e ou outros pelas empresas que receberam incentivos fiscais".

"O depoente esclarece que não e que toda a sua política foi voltada para o crescimento do econômico do Estado; que consigna ainda que no seu período o Estado passou de uma arrecadação de ICMS de R$ 26 bilhões para cerca de R$ 75 bilhões", disse Sérgio Cabral.

O ex-governador também foi questionado se teria pedido propina sobre obras de terraplanagem do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), da Petrobras. As vantagens indevidas foram delatadas pelos executivos Rogério Nora e Clóvis Primo, da Andrade Gutierrez.

"O declarante afirma que as declarações são inverídicas", disse. "Relata que acha que essas informações apresentadas nas delações dos retro mencionados foram para salvar as delações dos executivos da Andrade Gutierrez e Paulo Roberto Costa (ex-diretor de Abastecimento da Petrobras), desconhecendo tais fatos e sendo isso uma 'mentira'."
Fonte: ESTADÃO

Clarissa Garotinho é expulsa do PR. Deputada federal votou contra a PEC 55, antiga 241, que congela gastos públicos por 20 anos.

Clarissa Garotinho foi expulsa do PR por votar contra a
PEC do Teto André Mourão / Agência O Dia
O Partido da República (PR) decidiu expulsar a deputada federal Clarissa Garotinho, filha do ex-governador preso na semana passada, Anthony Garotinho. Clarissa era alvo de processo de expulsão do PR por ter votado contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que cria um teto para os gastos públicos, contrariando decisão do partido de fechar questão para que todos os seus parlamentares votassem a favor da medida.

Em comunicado assinado pelo presidente da sigla, Antonio Carlos Rodrigues, o ex-senador informou que a Comissão Nacional Executiva se reuniu no dia 17 deste mês e deliberou pela expulsão da deputada. "Notificamos Vossa Excelência que a partir desta data será promovido seu desligamento do quadro de filiados ao Partido da República", diz a mensagem encaminhada a parlamentar.

Procurada, ela ainda não havia se manifestado sobre o caso até a publicação desta reportagem.A expulsão coincide com a tentativa do partido de se distanciar do episódio envolvendo a prisão de Garotinho, acusado de compra de votos. Na quarta-feira, 16, a sigla divulgou um comunicado dizendo que não comentaria a prisão do ex-governador na "Operação Chequinho." Garotinho foi líder da bancada do PR até 2014.
Fonte: ESTADÃO

Prefeito e vice eleitos definem nomes para equipe de transição de governo em Belford Roxo.

O prefeito eleito de Belford Roxo, Waguinho (PMDB) e o vice Marcio Canella (PSL), definiram os nomes que irão compor a equipe de transição de governo. Os escolhidos farão reuniões com membros do governo atual para ficar a par da situação do Executivo.

A coordenação da equipe será do advogado Ricardo Tonassi Souto. Também integrarão o grupo: o presidente municipal do PMDB, Algacir Maeder Moulin e o médico Joé Gonçalves Sestello.

Waguinho e Canella vão acompanhar todo o processo de transição junto com a equipe, para a tomada de decisões que se fizerem necessárias em relação ao novo governo.
Nomes da equipe de Transição
ALGACIR MAEDER MOULIN
ANDRE LUIZ SANTANA LEAL
ANDRÉ ROCHA MACHADO
ANGELO LORENZINI
ANTONIO CARLOS PINHO
ARAMIS RODRIGUES DOS SANTOS JÚNIOR
BRAYAN LIMA CORDEIRO
BRUNO DO NASCIMENTO NUNES
BRUNO PAES LEME
CARLOS EDUARDO DA SILVA
CHRISTIAN VIEIRA DA SILVA
CLAUDECIR SOUZA DOS REIS
CRISTIANO DE SOUZA LÍRIO
ELENICE ARAUJO DE OLIVEIRA SILVEIRA
FLAVIO FRANCISCO GONÇALVES
FLAVIO VIEIRA DA SILVA
GRAÇA HELENA M. DE ARAUJO NEVES
IGO ALENCAR DE MENEZES
JADIR ELIAS CARVALHO DOS SANTOS
JEFFERSON ALENCAR PONCE GOMES
JOÃO CARLOS JULIÃO
JOÉ GONÇALVES SESTELLO
JORGE EDUARDO BARRETO DE ANDRADE FILHO
JORGE SOARES BRAGA
LEANDRO FARIAS LIRA
LUIS CARLOS FERREIRA CORREIA
LUIZ CARLOS DE AMORIM
LUIZ CLAUDIO VIEIRA RANGEL
MARCOS PAULO RIBEIRO LOPES
MAXIMO TONASSI
PAULO SERGIO CORREA LUNA
PEDRO PAULO DA SILVEIRA
RAFAEL SABINO DO CARMO
RENATA SANTOS ROSADO
RICARDO TONASSI SOUTO
ROGERIO MARIANO DOS PASSOS
RONALDO DIAS JUSTINO
SERGIO SALES DOS SANTOS
SIDNEI CORREA
TATIANA ERVITE MUSSER LIMA
VANDER LOUZADA DA ARAUJO
Fonte: Notícias de Belford Roxo

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Policial é morto em confronto com traficantes no Parque Floresta em Belford Roxo.

Um confronto entre a polícia e traficantes deixou um agente e outros quatro suspeitos mortos no Morro da Caixa D’água, na Vila Pauline, em Belford Roxo, no começo da tarde de ontem. Os feridos chegaram a ser levados para o Hospital Municipal Jorge Júlio Costa dos Santos (Joca), mas não resistiram aos ferimentos.

De acordo com informações do 39º Batalhão de Polícia Militar (Belford Roxo), o confronto aconteceu na altura do Parque Floresta. Os agentes já ocupavam a comunidade desde a última quarta-feira com o objetivo de combater a ação do tráfico de drogas na região. 

Os PMs foram surpreendidos por bandidos da facção criminosa ADA (Amigos dos Amigos) fortemente armados. A guarnição revidou ao ataque e parte dos bandidos conseguiu fugir ao cerco. 
Ainda segundo a corporação, o 3º sargento Tomaz teria sido baleado na cabeça. Ele morreu ao dar entrada no Joca. 

Baleados achados após cessar fogo 
O batalhão informou também que os quatro marginais mortos foram encontrados baleados após o fim do confronto. Com eles, as equipes de policiais apreenderam três fuzis cujo calibres não foram identificados, além de uma pistola.
Fonte: HoraH
Fotos Notícias de Belford Roxo

Rosinha Garotinho visita o marido em presídio de Bangu. Durante transferência para presídio, ex-governador se debateu em ambulância.


Ex-governador Garotinho é transferido para Complexo de Bangu
Família queria impedir sua transferência, alegando que a unidade de saúde do presídio não tem condições para tratá-lo.
Anthony Garotinho é levado de hospital para presídio em Bangu
(Foto: Alexandre Cassiano/Agência O Globo)
A Polícia Federal (PF) foi acionada pela Justiça de Campos dos Goytacazes para fazer a transferência de Garotinho, o que só ocorreu às 22h45. Ele saiu amparado pelos bombeiros do Samu, mas recusou-se a entrar na ambulância, levantando-se por duas vezes da maca onde estava, precisando ser contido pelos profissionais de saúde.

Rosinha esperava o advogado e disse estar aguardando para fazer o
cadastro necessário para a visita (Foto: Fernanda Rouvenat/ G1)
A ex-governadora Rosinha Garotinho, atual prefeita de Campos, quase desmaiou por duas vezes, precisando ser amparada por assessores. Ela gritava “Meu marido não é bandido” e tentava acompanhar o marido dentro da ambulância. A filha do casal, a deputada federal Clarissa Garotinho (PR-RJ), chorava muito, precisando ser acalmada por amigos e parentes. A também ex-governadora Rosinha Garotinho, esposa de Garotinho, alegou que não houve nenhum benefício no tratamento dispensado a ele.

“A regalia que disseram que eu estava tendo no hospital é dizer que eu estava dormindo dentro do CTI. As minhas testemunhas têm que ser os agentes federais que estavam lá dentro do CTI com ele. Eu passei a noite numa sala, quem estava dentro do CTI com ele eram os agentes federais. Então pergunte pra eles. Eu não dormi no CTI, eu só fiquei lá no hospital como todo mundo. Até mesmo porque ele é uma pessoa pública, ele estava em um quarto mais reservado pruma pessoa que precisa de mais privacidade”, disse ela.

A Secretaria Municipal de Saúde negou que tenha concedido privilégios a Garotinho durante seu tempo de internação e afirmou que a sala que ficou destinada à família dele foi designada dessa forma para não atrapalhar o funcionamento do hospital.Imagens veiculadas pelo "Jornal das Dez", da GloboNews, mostram o momento em que Garotinho é levado de maca para uma ambulância e se debate, parecendo estar bastante alterado.

Exame marcado para segunda-feira
Anthony Garotinho é transferido de hospital para presídio em Bangu no Rio (Foto: Alexandre Cassiano/Agência O Globo)
Anthony Garotinho é levado de hospital para presídio em Bangu (Foto: Alexandre Cassiano/Agência O Globo)
Garotinho foi levado para Gericinó apenas algumas horas depois de a Secretaria Municipal de Saúde do Rio informar que ele permaneceria internado no Souza Aguiar até segunda-feira (21), para fazer exame de cateterismo que investigaria se há obstrução em alguma artéria coronariana. Após ser preso, o ex-governador se queixou de dores no peito e alteração na pressão arterial e em batimentos cardíacos.

Ao ser submetido a um ecocardiograma de esforço, realizado na manhã desta quinta, ele se queixou de dor intensa, que sugere um quadro de angina, levando os médicos a recomendar o cateterismo, agendado para o Instituto Estadual de Cardiologia Aloysio de Castro (IECAC). Garotinho chegou a pedir transferência para o Hospital da Unimed, na Barra da Tijuca, onde recebe tratamento cardíaco, mas não conseguiu. Segundo a SMS, a prefeitura deu autorização para a transferência, mas a Polícia Federal negou o pedido.
Fonte: O DIA /G1/YouTube

LAVA JATO: 'Tem muita coisa que ainda pra explodir', diz Rosinha Garotinho.

Saída do ex-governador do hospital foi muito tumultuadaVladimir Platonow / Agência Brasil
Segundo ela, o marido está sofrendo retaliações por ter denunciado 'gente grande'. Prefeita de Campos também comentou prisão de Sérgio Cabral
Rio - A prefeita de Campos dos Goytacazes Rosinha Garotinho (PR) saiu em defesa do marido, Anthony Garotinho, nesta quinta-feira, depois da prisão do ex-governador e atual secretário de seu governo. Segundo ela, Garotinho está sofrendo retaliações por ter denunciado "gente grande" e "muita coisa ainda vai explodir" por conta disso. As declarações foram dadas em entrevista à "Rádio Gaúcha".
Rosinha Garotinho saiu em defesa do marido nesta quinta-feira Carlo Wrede / Agência O Dia
"Teríamos uma audiência na semana que vem. Muita coisa vai aparecer. Pessoas que já estão inclusive na delação de [Fernando] Cavendish. Tem muita coisa ainda que vai explodir. A República está caindo", afirmou Rosinha.
Movimentação na sede da Polícia Federal após prisão de Sérgio Cabral nesta quinta-feira Paulo Carneiro / Parceiro/ Agência O Dia
Ela aproveitou para falar sobre a prisão do ex-governador Sérgio Cabral, na manhã desta quinta-feira, e citar o atual governador Luiz Fernando Pezão. Rosinha comentou que o marido foi preso não por roubo, mas "por alimentar o povo pobre."

"Isso é retaliação porque ele entregou na PGR (Procuradoria-Geral da República) um documento com mais de mil páginas com provas contra o ex-governador Sérgio Cabral, contra Pezão, contra o presidente da Assembleia, o ex-presidente da Assembleia e outras pessoas de outros Poderes que ele denunciou com provas", disse ela.  
Fonte: O DIA

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Renovação da Matrícula de Alunos da Rede Estadual de ensino já pode ser feita na Escola onde estuda. Novas matrículas começam no próximo dia 24/11 pela Internet.

Ingressar na rede estadual de ensino é simples e rápido segundo informações do site da Secretaria Estadual de Educação. A SEEDUC afirma que a matrícula informatizada é a maneira mais democrática e prática para que alunos de outras redes, da própria rede estadual que desejam mudar de escola ou mesmo aqueles que pararam de estudar tenham uma oportunidade nas escolas estaduais.

O site www.matriculafacil.rj.gov.br, estará disponível de 24 de novembro a 22 de dezembro de 2016.

O CANDIDATO INTERESSADO PODERÁ INGRESSAR NAS SEGUINTES SÉRIES:
I - 6º, 7º, 8º e 9º Anos do Ensino Fundamental Regular;
II - Fases VI, VII, VIII e IX do Ensino Fundamental da Educação de Jovens e Adultos;
III - 1ª, 2ª e 3ª Séries do Ensino Médio Regular;
IV- 1ª, 2ª e 3ª séries do Ensino Médio Inovador;
V- Módulos I, II , III e IV do Ensino Médio da Educação de Jovens e Adultos;
VI- 1ª, 2ª e 3ª séries do Ensino Médio Normal (Formação de Professores em horário integral).

A - Ensino Médio Vocacional Profissionalizante nas seguintes unidades escolares vinculadas à Secretaria de Estado de Educação:
I. CEIA Barão de Langsdorff;
II. CEFFA CEA Rei Alberto I;
III. CE Dom Pedro II;
IV. CE Infante Dom Henrique;
V. CE José Leite Lopes
VI. CE Comendador Valentim dos Santos Diniz
VII. CE Erich Walter Heine
VIII. CIE Miécimo da Silva
IX. CE Hebe Camargo

B- Ensino Médio Vocacional Intercultural nas seguintes unidades escolares vinculadas à Secretaria de Estado de Educação: 
I. CE Hispano Brasileiro João Cabral de Melo Neto Brasil-Espanha
II. CIEP 449 Leonel de Moura Brizola Brasil-França
III. CIEP 117 Carlos Drummond de Andrade Brasil – Estados Unidos
IV. CE Matemático Joaquim Gomes de Sousa Intercultural Brasil-China
V. CIEP 218 Ministro Hermes de Lima Brasil-Turquia

C - Ensino Médio de Referência nas seguintes unidades escolares vinculadas à Secretaria de Estado de Educação:
I. CE Chico Anysio
II. CE Brigadeiro Castrioto
III. CE Almirante Rodrigues Silva
IV. CE Armando Dias

D- Ensino Médio Articulado ao Técnico nas seguintes unidades escolares vinculadas à Secretaria de Estado de Educação:
I. CE Jornalista Maurício Azêdo
II. CE Círculo Operário
III. CIEP 111 Gelson Freitas
IV. CE São João
V. CIEP 493 Professora Antonieta Salinas de Castro

COMO SE INSCREVER:
O candidato interessado deverá acessar o site www.matriculafacil.rj.gov.br, no período de 24 de novembro a 22 de dezembro de 2016. Na página eletrônica, haverá informações sobre como se inscrever; escolas com vagas disponíveis; idade para se inscrever em cada série ofertada; e como e quando confirmar sua matrícula na escola.

DIVULGAÇÃO:
No dia 10 de janeiro de 2017, o resultado da inscrição será divulgado no site www.matriculafacil.rj.gov.br. É importante que você confirme sua pré-matrícula na escola em que foi selecionado no período de 12 a 18 de janeiro de 2017, portando a seguinte documentação:

DOCUMENTAÇÃO:
I - Carteira de Identidade ou documento que a substitua (Certidão de Nascimento ou Casamento) - Original (será devolvida no ato) e CPF, se possuir;
II - Histórico Escolar ou Declaração da última Unidade Escolar em que estudou, constando a série para a qual o aluno está habilitado, ficando o original na escola;
III - Carteira de Identidade e CPF do responsável legal, no caso de menor de 18 anos, original e cópia;
IV - Laudo comprobatório de deficiências declaradas (se for o caso);
V - Comprovante de residência.
VI – Comprovante do Atestado com tipo do grupo sanguíneo e o Fator Rhesus ( fator RH), conforme disposto na Lei nº 6.683 de 15 de janeiro de 2014.

RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA:
Se você já é aluno da rede estadual e deseja permanecer na mesma escola, é necessário que seja feita somente a renovação da sua matrícula na sua unidade escolar. Para isso, procure a secretaria da sua escola no período de 17/11 a 09/12/2016.

CRONOGRAMA DA MATRÍCULA 2017
Fonte: SEEDUC/rj

Aluguel social: governo do Rio corta benefício de 9 mil famílias removidas de áreas de risco. Famílias de Belford Roxo também vão ser prejudicadas.

No Jacarezinho, a babá Ane Cnistinae a filha Carolina Vitória nos escombros Foto: Marcelo Theobald / Agência O Globo
Quando a casa onde criava os dois filhos foi demolida, em 2013, a incerteza caiu como uma pedra sobre a babá Ane Cristina Inácio, de 42 anos. Ela e dois filhos, uma menina de 8 anos e um rapaz de 20, deveriam receber o aluguel social de R$ 400 até que um apartamento novo fosse construído pelo governo do Rio. Pelo menos, essa era a promessa. Três anos depois, a casa de Ane se resume a um monte de escombros. Quanto ao aluguel social, atrasado há dois meses, só existe uma certeza: pelo pacote econômico anunciado ontem pelo governador Luiz Fernando Pezão, o benefício será sepultado em junho do ano que vem.

— Foi muita maldade. Nós acreditamos que podíamos sair das nossas casas porque eles prometeram que iam dar imóveis. Foi tudo abaixo e, agora, eles não vão mais pagar o aluguel social? Não temos mais para onde ir — desabafa ela.

A promessa do governo do estado era retirar famílias pobres de áreas de risco, na comunidade do Jacarezinho, na Zona Norte da capital, e oferecer moradias populares novas dentro da própria comunidade. Na época, o Estado do Rio vivia um momento de euforia econômica, com investimentos em infraestrutura por toda a cidade.

Ane foi com a filha Carolina Vitória, então com 5 anos, passar por um cadastramento para receber o benefício. O pagamento seria feito até que recursos de R$ 600 milhões fossem aplicados por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC2). Hoje, só na comunidade do Jacarezinho, 1.466 famílias dependem do pagamento.

O decreto publicado pelo governador determina a extinção do programa em todo estado, atribuindo a decisão às incertezas sobre receitas estaduais.
Famílias de Belford Roxo vítimas das Enchentes de 2009 e 2010 ainda não receberam seus apartamentos e dependem de Aluguel Social até hoje.
— Nós estamos deixando de comprar coisas para comer para pagar o aluguel e não ficarmos na rua. O dinheiro que o governo dá já nem era suficiente para pagar uma casa aqui. Me cobram R$ 550, mas só recebo R$ 400 do governo — explica Ane.

A 66 quilômetros do Jacarezinho, em Petrópolis, na Região Serrana, a família de Roseli Carneiro, de 41 anos, sofreu um golpe duplo. Além do aluguel social, não receberá mais o Renda Melhor, programa que concedia até R$ 300 a famílias em pobreza extrema:
— Como vou pagar as contas? Meu filho e eu estamos desempregados.

Pezão fez promessa pessoalmente
Magali: promessa do governador de uma casa nova

não viro Foto: Marcelo Theobald / Agência O Globo
A operadora de máquinas Magali Tavares, de 40 anos, ouviu do próprio governador Luiz Fernando Pezão, em visita à comunidade do Jacarezinho, em 2013, o anúncio da construção de 2.240 unidades habitacionais, dentro do programa “Minha casa, minha vida”, em 80 terrenos desapropriados pelo estado. Pezão, então era vice-governador. Com atraso no pagamento do aluguel social, o dono da casa, onde Magali vive com seis filhos e um neto, pediu o imóvel de volta.

— O governador Pezão veio pessoalmente aqui. disse que era pra gente sair que eles iam construir uma casa nova, e enquanto isso pagar aluguel social. Estamos passando o pão que o diabo amassou. Nas compras só arroz e feijão — lamenta ela.

Problema se arrasta a anos e famílias sofrem pela má gestão pública.

Em Queimados o Prefeito da Cidade Max Lemos fez "dever de casa" e vai entregar gratuitamente 600 unidades habitacionais  do Programa Minha Casa Minha Vida a famílias atingidas pela enchente de 2013


Entenda os programas: Aluguel Social
O decreto que criou o programa aluguel social foi publicado em abril de 2010, quatro meses depois da tragédia das chuvas em Angra dos Reis, no Sul do estado. O objetivo era remover moradores de áreas de risco e pagar um valor de benefício para moradia até a construção de casas populares.

Beneficiários
Hoje, 9.640 famílias, em 15 municípios,recebem em média R$ 500 por mês. O maior número de beneficiários está em Niterói, onde 2.192 famílias estão cadastradas. A maioria delas do Morro do Bumba que desabou em 2010. Por mês, são aplicados R$ 4, 2 milhões no programa.

Renda Melhor
Foi implantado, em 2011, para complementar rendimento de famílias em situação de pobreza extrema. O projeto atende a 122.569 famílias correspondendo a R$10,9 milhões.

Dívida
Com um valor médio de benefício de R$ 89,74, o pagamento foi suspenso em maio e a dívida chega a R$ 52 milhões.
Fonte: Pollyanna Brêtas/EXTRA/G1